Petrobrás confirma descoberta na Bacia de Sergipe-Alagoas

Óleo encontrado é considerado leve e é semelhante ao petróleo árabe, um dos mais valorizados no mercado internacional

Sergio Torres, de O Estado de S. Paulo,

21 de setembro de 2011 | 23h00

A Petrobrás confirmou nesta quarta-feira, 21, a descoberta, ocorrida em outubro do ano passado, de uma nova província petrolífera em águas ultraprofundas na Bacia de Sergipe-Alagoas. A estimativa de quanto óleo o reservatório guarda não foi divulgada pela companhia.

A qualidade do petróleo encontrado foi saudada pela Petrobrás e por especialistas. Trata-se de um óleo leve, com grau API em torno de 43º, semelhante ao petróleo árabe, um dos mais valorizados no mercado internacional. Petróleo com essas características é apontado pelo geólogo Nilo Azambuja, ex-diretor da Associação Brasileira dos Geólogos do Petróleo (ABGP), como "muito bom", porque proporciona às refinarias a capacidade de aumentar a produção de gasolina e diesel. "Com essas condições, o refino não é problemático", acrescentou Azambuja.

De acordo com o geólogo, o petróleo encontrado ao longo da costa do Nordeste apresenta características diversas daquele existente em trechos mais ao sul do litoral brasileiro, como a Bacia de Campos (RJ), por exemplo. "Os maiores volumes localizados até agora são de óleo pesado, como acontece no Sudeste."

A nova província (conjunto de jazidas) anunciada pela Petrobrás fica no setor sergipano da bacia. O acúmulo de petróleo foi localizado no primeiro poço aberto em águas ultraprofundas da Bacia de Sergipe-Alagoas. A área de concessão BM-SEAL-11 fica no bloco SEAL-M-426, que tem a Petrobrás como operadora, com 60% do empreendimento. A parceira da Petrobrás é a IBV-Brasil, com o porcentual restante.

Batizado informalmente como Barra, o poço está a 2.311 metros de profundidade, a 58 km da costa de Sergipe e a 90 km da capital Aracaju.

Segundo o comunicado da estatal, a comprovação da descoberta ocorreu por meio dos métodos de perfilagem (registros de características de uma formação) e amostragem (líquidos e gases) de fluido em teste de formação a poço revestido.

Ainda conforme a divulgação da companhia, "foram confirmadas excelentes condições de porosidade dos reservatórios em profundidade de cerca de 5.050 metros e 5.400 metros".

O consórcio Petrobrás/IBV-BRASIL anunciou que dará continuidade ao Programa Exploratório Mínimo acordado com a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que aprovou o plano de avaliação de descoberta.

Na Bacia do Solimões (Amazonas), a HRT Participações em Petróleo registrou a descoberta de indícios de petróleo e gás, conforme a notificação que encaminhou ontem à ANP. Realizada pela subsidiária HRT O&G Exploração e Produção de Petróleo, a descoberta ocorreu no poço 1-HRT-1-AM, na porção nordeste do bloco SOL-T-170.

A HRT informou que o poço, localizado no município de Tefé, com profundidade final de 3.457 metros, ainda está em fase de avaliação. A empresa tem 55% de participação em 21 bloco exploratórios na Bacia do Solimões, com uma área de 48,5 mil quilômetros quadrados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.