Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Conselho da Petrobras rejeita indicação de número 2 da Casa Civil e de procurador-geral da Fazenda

Jonathas Assunção de Castro e Ricardo Soriano de Alencar tiveram a indicação negada em reunião nesta segunda-feira

Denise Luna, O Estado de S.Paulo

18 de julho de 2022 | 15h00

RIO - O Conselho de Administração da Petrobras acatou a rejeição do Comitê de Elegibilidade (Celeg) da empresa e não elegeu Jonathas Assunção Salvador Nery de Castro, número dois da Casa Civil, nem o procurador-geral da Fazenda, Ricardo Soriano de Alencar como conselheiros da companhia.

O Conselho da Petrobras se reuniu na manhã desta segunda-feira, 18, e, além de rejeitar os dois indicados pelo governo, aprovou a convocação de uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para o próximo dia 19 de agosto, quando serão eleitos os novos membros do Conselho.

O governo indicou oito nomes para ocupar os assentos a que tem direito no órgão, mas com a rejeição de dois nomes, voltou a ter seis cadeiras, a menos que faça mais indicações até a data da AGE.

Foram aprovados pelo Conselho para serem eleitos na assembleia, além de Caio Paes de Andrade, que já teve seu nome aprovado como membro do Conselho e para a presidência da Petrobras, o presidente do Serpro, Gileno Gurjão Barreto (indicado a presidente do Conselho de Administração); Edison Antonio Costa Britto Garcia; a presidente do Conselho do Banco do Brasil, Ieda Aparecida de Moura Gagni; e os atuais conselheiros Ruy Flaks Schneider e Márcio Andrade Weber. Todos tiveram seus nomes aprovados pelo Celeg, alguns com ressalvas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.