Petrobras descobre reserva gigante de petróleo; ações disparam

A Petrobras descobriu uma enormereserva de petróleo leve e de gás natural que pode chegar a 8bilhões de barris, impulsionando fortemente suas ações naBovespa e de seus parceiros no projeto, a BG Group e a Galp, emoutras bolsas. A estatal brasileira informou nesta quinta-feira quefinalizou testes no campo de Tupi, na bacia de Santos, onde foicomprovada reserva recuperável de 5 a 8 bilhões de barris depetróleo de boa qualidade e gás na camada pré-sal. A Petrobras é operadora da área com 65 por cento docapital, em parceria com a britânica BG Group, que detém 25 porcento, e a portuguesa Petrogal/Galp, com 10 por cento. O óleo encontrado no local tem 28 graus API, considerado demelhor qualidade comercial do que a média do petróleoencontrado no Brasil. Quanto mais próximo de 50 graus API maisleve é o óleo e portanto mais fácil de refinar. "É uma descoberta gigante, sem sombra de dúvida. Éaproximadamente o dobro do tamanho de Roncador, a maiordescoberta de petróleo brasileira até então", afirmou oconsultor Caio Carvalhão, do Cambridge Energy ResearchAssociation, no Rio de Janeiro. Roncador tem uma reserva recuperável de aproximadamente 3bilhões de barris de petróleo, mas o produto no local é pesado,de menor valor comercial. Sem contar a nova descoberta, o Brasil pussuía reservasprovadas de petróleo de 12 bilhões de barris, a maioria óleopesado. A Petrobras produz cerca de 1,8 milhão de barris depetróleo por dia, satisfazendo a demanda brasileira. Mas acompanhia ainda precisa importar petróleo leve, para misturarcom o produto local mais pesado no processo de refino. A Petrobras informou ainda que fez uma avaliação regionaldo potencial petrolífero brasileiro na área pré-sal--reservatórios que se encontram abaixo de uma extensa camadade sal-- nas bacias do Sul e Sudeste. "Os volumes recuperáveis estimados de óleo e gás para osreservatórios do pré-sal, se confirmados, elevarãosignificativamente a quantidade de óleo existente em baciasbrasileiras, colocando o Brasil entre os países com grandesreservas de petróleo e gás do mundo", disse a estatal em umcomunicado. "Os poços que atingiram o pré-sal e que foram testados pelaPetrobras mostram, até agora, alta produtividade de petróleoleve e de gás natural. Esses poços se localizam nas bacias doEspírito Santo, de Campos e de Santos", acrescentou a empresa. A camada chamada pré-sal, mais profunda do que as até omomento exploradas pela Petrobras, se estende por 800quilômetros no litoral dos Estados do Espírito Santo a SantaCatarina. A BG Group, uma das parceiras da Petrobras no projeto,havia informado em fevereiro que o campo de Tupi poderia conterentre 1,7 e até 10 bilhões de barris das chamadas reservas"in-place" (nome utilizado para classificar reserva que aindanão foi comprovada). O anúncio da Petrobras ficou acima da expectativa deanalistas, que esperavam reservas comprovadas em Tupi de cercade 30 por cento das reservas "in-place". Nesta quinta-feira, por volta das 12h45, as ações da BG emLondres subiam mais de 7 por cento. As ações da Galpregistravam alta de quase 8 por cento, enquanto o papel daPetrobras na Bovespa subia mais de 10 por cento. PERSPECTIVA POSITIVA A maior parte dos analistas têm mantido recomendações decompra para a Petrobras devido às perspectivas de produção,apesar dos problemas nos últimos meses que a empresa vemenfrentando com plataformas e equipamentos, que a fizeram ficaraquém das metas de produção de petróleo e gás. A esperada entrada em produção de três novas plataformasnos próximos dias, com capacidade total de 460 mil barris pordia, deve melhorar o cenário. Mais três plataformas deveminiciar operações no ano que vem. Geólogos têm comentado há algum tempo sobre a possibilidadede grandes reservas na camada pré-sal abaixo das principaisáreas de produção de petróleo do Brasil na bacia de Campos e napromissora bacia de Santos. (Texto de Marcelo Teixeira)

DENISE LUNA E ANDREI KHALI, REUTERS

08 de novembro de 2007 | 13h14

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAPETROBRASTUPI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.