Petrobras está de olho no pré-sal de Angola, diz Miguel Jorge

A estatal brasileira Petrobras está interessada em explorar o pré-sal da costa de Angola, disse na terça-feira o ministro do Desenvolvimento, Miguel Jorge.

REUTERS

10 de novembro de 2009 | 17h55

Angola tem uma formação submarina rochosa semelhante à do Brasil, que em 2007 fez uma descoberta na camada pré-sal da bacia de Santos na área de Tupi, onde podem existir 8 bilhões de barris de óleo equivalente.

"Um diretor da Petrobras teve uma reunião com o ministro de economia de Angola e lhe disse que a Petrobras, que está presente aqui, tem um grande interesse em trabalhar na perfuração em uma área que chamamos de pré-sal--águas profundas e ultra profundas", disse o ministro.

Ele conversou com jornalistas no início de uma turnê por três países da África: Angola, África do Sul e Moçambique, que visa promover o comércio com o Brasil.

A StatoilHydro também disse em julho que está interessada no pré-sal de Angola, país que rivaliza com a Nigéria como maior produtor africano de petróleo.

Jorge disse ainda que o Brasil, um grande produtor de biocombustíveis, também estava trabalhando com Angola e outros países africanos a fim de ajudá-los a produzir açúcar e etanol, como uma maneira de reforçar o setor agrícola da região.

"É uma idéia e um sonho do presidente Lula de que a agricultura se torne um processo irreversível na África, e nós achamos que os biocombustíveis são um passo importante nessa direção", disse Jorge.

(Reportagem de Henrique Almeida)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAPETROBRAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.