Petrobras fecha contrato de US$ 1,4 bi para construção da P56

Consórcio é escolhido sem licitação porque foi o responsável pela construção da P-51, igual à P-56

Kelly Lima, da Agência Estado,

26 de setembro de 2007 | 20h41

A Petrobras fechou contrato de US$ 1,4 bilhão para a construção da plataforma P-56, destinada ao campo de Marlim Sul. A unidade vai começar a produzir 100 mil barris de óleo por dia a partir de outubro de 2010. A construção da plataforma ficará a cargo do consórcio BRasfels/Technip. O consórcio foi escolhido sem licitação, porque foi o responsável pela construção da P-51, da qual a P-56 será clonada. A contratação sem licitação é uma brecha na legislação encontrada pela Petrobras para acelerar seus projetos. A legislação prevê que se a unidade for idêntica, construída pelo mesmo dono e pelo mesmo preço, há a possibilidade de dispensa da licitação. No caso da P-56 - que ainda está sob análise do TCU - o valor final ficou US$ 400 milhões a mais do que a P-51, devido à elevação de custos nos últimos três anos, desde que a primeira unidade foi contratada. O volume a ser produzido também sofreu alterações: 80 mil barris a menos do que o projeto inicial, devido a especificações do campo de Marlim Sul. Porém, o gerente executivo da estatal, José Antônio Figueiredo, garante que o projeto é exatamente o mesmo.

Tudo o que sabemos sobre:
P-56Petrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.