Petrobras freta 2 navios-plataforma por US$ 3,5 bilhões

A Petrobras e seus parceiros no consórcio BM-S-11, BG e Petrogal Brasil, assinaram contrato para o afretamento de dois navios-plataforma do tipo FPSO (que produz, estoca e escoa petróleo e gás natural). Segundo comunicado enviado pela SBM, o valor total do contrato é de US$ 3,5 bilhões.

FERNANDA GUIMARÃES, Agencia Estado

15 de julho de 2013 | 09h22

As embarcações serão direcionadas a projetos de desenvolvimento da produção das áreas de Lula Alto e Lula Central, localizadas no campo de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos. Cada navio-plataforma terá capacidade para processar até 150 mil barris de petróleo por dia (bpd) e 6 milhões de metros cúbicos diários de gás natural.

De acordo com comunicado da SBM Offshore, as duas plataformas serão de propriedade e operados pela joint-venture da SBM Offshore com a Mitsubishi Corporation, Nippon Yusen Kabushiki Kaisha e Queiroz Galvão Óleo e Gás. Nessa joint venture a SBM Offshore possuirá uma participação de 56%.

A companhia informou que as plataformas na Cidade de Maricá (Lula Alto) e na Cidade de Saquarema (Lula Central) estão previstas, respectivamente, para o final de 2015 e início de 2016. As duas plataformas serão cópias do modelo de Ilhabela, que deverá ser lançado no próximo ano.

A carta de intenções entre a SBM e a Tupi BV, afiliada da Petrobras, foi assinada em março. O Consórcio BM-S-11 é operado pela Petrobras (65%), em parceria com a BG E&P Brasil (25%) e a Petrogal Brasil (10%).

Tudo o que sabemos sobre:
petrobrasnavios-plataformas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.