Petrobras inicia obra para tratamento de gás em SP

A Petrobras iniciou neste mês as obras de ampliação e adequação da Unidade de Tratamento de Gás Monteiro Lobato (UTGCA), em Caraguatatuba, no litoral de São Paulo. O projeto de expansão da unidade, revelado pela Agência Estado no final de 2010, prevê que o sistema terá capacidade para processar 20 milhões de metros cúbicos diários de gás natural, um acréscimo de 2 milhões de metros cúbicos diários em relação ao projeto original encerrado no início do ano passado.

ANDRÉ MAGNABOSCO, Agencia Estado

22 de março de 2012 | 18h21

A adequação da unidade deverá estar concluída em 2014 e será conduzida pela empresa Schahin. Atualmente, a UTGCA processa 9 milhões de metros cúbicos diários e obtém produtos como gás liquefeito de petróleo (GLP) e C5, uma corrente líquida conseguida a partir do gás.

A unidade de tratamento recebe gás e condensado de três plataformas marítimas localizadas na Bacia de Santos, segundo a Petrobras. São os navios-plataforma FPSO Cidade de Santos, instalado no Polo Uruguá; o FPSO Cidade de Angra dos Reis, no Campo de Lula; e a plataforma de Mexilhão, que produz o gás e condensado em campo de mesmo nome, localizado em Caraguatatuba.

"O projeto de adequação e ampliação é necessário para que a unidade receba o gás com maior conteúdo de frações pesadas proveniente de outros campos localizados no pré-sal da Bacia de Santos", destacou a Petrobras em nota divulgada nesta quinta-feira. As atividades na região, principalmente no pré-sal, ainda estão em etapa inicial e por isso a Petrobras já prevê o aumento da vazão de gás natural.

Além de ampliar a capacidade de processamento da UTGCA, a Petrobras também estuda investimentos na infraestrutura local. No final do ano passado, o gerente geral da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Santos da Petrobras, José Luiz Marcusso, afirmou à Agência Estado que a Petrobras planeja instalar dois dutos que permitam o transporte de GLP e outros hidrocarbonetos pesados a partir do litoral paulista. Os dutos devem estar concluídos entre meados de 2013 e o início de 2014.

Tudo o que sabemos sobre:
gásPetrobrasSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.