Petrobras iniciou auditoria sobre SBM, diz Graça Foster

A Petrobras abriu uma auditoria interna para apurar as denúncias de pagamentos de propinas a funcionários e intermediários da companhia, envolvendo os contratos com a SBM Offshore, empresa holandesa de fretamento de plataformas, informou nesta terça-feira, 18, a presidente da estatal, Graça Foster. Segundo Graça, os primeiros resultados da auditoria deverão levar 30 dias para sair.

VINICIUS NEDER, Agencia Estado

18 de fevereiro de 2014 | 14h05

"Iniciamos na semana passada um processo de auditoria dentro da companhia. São previstos pelo menos 30 dias para concluir e ao longo desse período não daremos nenhuma informação sobre o assunto", afirmou Graça na sede da companhia, no Rio, após evento de lançamento do patrocínio da Petrobras à escuderia Williams, da Fórmula 1.

Graça recusou-se a citar fontes ou documentos que o processo de auditoria está recolhendo. Tampouco respondeu se Julio Faerman, citado na denúncia, tem relações com a Petrobras.

Sobre as greves nas obras do Comperj, complexo petroquímico em construção na região metropolitana do Rio, Graça declarou que a estatal está dialogando. "Estamos dialogando sempre. São muitas empresas. Elas têm lá seus momentos para discutir salários e ganhos para os trabalhadores. Vez por outra, temos que conversar com eles porque é preciso caminhar", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
petrobrasdenúnciaSBM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.