Petrobras nega conclusão de negócio da PESA Argentina

A presidente da Petrobras, Graça Foster, admitiu que a Pesa Argentina está na carteira de desinvestimento da companhia, mas negou os rumores de que parte da operação no país vizinho já tenha sido negociada. "A diretoria da Petrobras não tomou qualquer posição em relação à operação argentina. Estamos conversando com diversos grupos argentinos, mas não há prazo para se tomar uma posição", completou em audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal.

EDUARDO RODRIGUES E LAÍS ALEGRETTI, Agencia Estado

14 de maio de 2013 | 15h44

O jornal La Nación informou na edição desta terça-feira, 14, em sua página na internet, que a operação de venda à Oil Combustíbel teria sido fechada na segunda-feira, 13. Segundo a reportagem, o empresário Cristóbal López, proprietário do Grupo Indalo, que controla a empresa, teria comprado 51% dos ativos da Petrobras Argentina.

Graça voltou a dizer também que não está nos planos da Petrobras a venda da refinaria de Pasadena, no Texas, adquirida pela companhia em 2006. "Não é o momento de vender, mas de recuperar as margens em Pasadena", acrescentou. O prejuízo estimado no negócio supera US$ 1 bilhão.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrasSenadoPESA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.