Petrobras pode ter segunda unidade de refino nos EUA

A Petrobras avalia apossibilidade de ter uma segunda refinaria nos Estados Unidos,que seria necessária para dar conta do esperado aumento daprodução de petróleo na região, informou nesta segunda-feira odiretor da Área Internacional da estatal, Nestor Cerveró. O diretor afirmou a jornalistas que além da ampliação darefinaria de Pasadena, no Texas, uma joint-venture da Petrobrascom a Astra, a estatal discute outras alternativas para elevarsua capacidade de refino. "Não é só a questão de ampliação, estamos examinando outronegócio de refino lá", afirmou Cerveró. A Petrobras pretende processar de 200 mil a 250 mil barrisde petróleo por dia nos EUA até 2012, dependendo dasnegociações para elevar a capacidade de refino no país, disse oexecutivo. A refinaria de Pasadena processa cerca de 100 mil barrispor dia e há planos para elevar sua capacidade. Os Estados Unidos serão o principal destino dosinvestimentos no exterior da Petrobras. Dos 15 bilhões de dólares de investimentos externosprevistos no plano de negócios 2008-2012, 4,9 bilhões, ou 32por cento, serão aplicados nos EUA. A Petrobras é operadora em dois campos no Golfonorte-americano, Chinook e Cascade, onde começará a produzir em2010. Além dos EUA, Cerveró também comentou a situação no Japão.A Petrobras negocia desde o ano passado a compra de umarefinaria em Okinawa, mas até agora não houve um acordo. "Estamos negociando há algum tempo com eles e até comoutros. Essa questão do tempo causa um certo desgaste. Estamosexaminando a possibilidade e vamos manter sigilo".Ele ainda descartou a possibilidade de ter uma refinaria emRoterdã, na Holanda. "Chegamos a examinar mas o processo nãoavançou". (Por Rodrigo Viga Gaier)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.