Petrobras prevê investir US$ 73 bi no pré-sal de Santos até 2015

A Petrobras informou na noite de sexta-feira que a previsão dos investimentos para o desenvolvimento dos projetos do pré-sal da bacia de Santos até 2015 serão de 73 bilhões de dólares, sendo que 74 por cento deste total serão aportados diretamente pela estatal.

REUTERS

29 de abril de 2011 | 21h41

De acordo com o comunicado, o sucesso da campanha do pré-sal de Santos e as reservas maiores que o esperado reduziram a necessidade dos investimentos para o desenvolvimento da área.

"Hoje estimada em 45 por cento com relação ao Plano Diretor original de 2008 e em cerca de 32 por cento com relação ao Plano Diretor do último ano", informou a empresa em comunicado.

A reavaliação do Plansal, plano instituído em 2008 para coordenar os investimentos nos reservatórios gigantes da bacia de Santos, foi feita em reunião do conselho de administração da estatal mais cedo na sexta-feira.

Segundo o novo plano, em 2015 a área do pré-sal de Santos estará produzindo 613 mil barris diários de petróleo, referente à fatia da Petrobras nos campos, volume que representa um acréscimo de 108 mil barris diários em relação ao plano anterior.

Desse total, cerca de 60 por cento são próprios e os demais 40 por cento pertencem aos parceiros. Em 2017, a meta de produção anteriormente divulgada de 1 milhão de barris diários de petróleo será ultrapassada.

A redução de custos se deveu principalmente pela maior produtividade dos poços --incremento médio em torno de 20 por cento-- e pelo melhor conhecimento das áreas potencialmente produtoras.

Adicionalmente, foi excedida a expectativa de volume recuperável potencial das áreas de Lula e Cernambi, ultrapassando os 8 bilhões de barris.

Também houve um significativo acréscimo considerando-se os 5 bilhões de barris de óleo equivalente recuperáveis (boer) recentemente adquiridos na cessão onerosa.

(Por Denise Luna)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAPETROBRASPRESAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.