Petrobras produz 2,700 mi de barris/dia em fevereiro

A produção total de óleo e gás natural da Petrobras em fevereiro alcançou 2,7 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d), segundo dados divulgados nesta quarta-feira pela estatal. O volume representa uma expansão de 3,7% em relação a fevereiro do ano passado, mas é 1,1% inferior ao registrado em janeiro deste ano. Quando considerada a produção apenas no Brasil, a Petrobras registrou um total de 2,455 milhões de boe/d. No exterior a produção foi de 245,2 mil boe/d.

ANDRÉ MAGNABOSCO, Agencia Estado

28 de março de 2012 | 21h14

A retração na comparação entre janeiro e fevereiro, segundo a empresa, decorre de "parada programada do Gasoduto Caraguatatuba-Taubaté (Gastau), do término do teste de longa duração (TLD) de Aruanã, na Bacia de Campos, e da paralisação do FPWSO Dynamic Producer, que realizava o TLD de Carioca Nordeste, por falha no duto vertical de teste de produção".

A produção exclusiva de petróleo no Brasil, número que é utilizado pela companhia como referência de produção anual, alcançou 2,098 milhões de barris diários (b/d), levemente abaixo da marca de 2,110 milhões de b/d de janeiro deste ano. Na comparação com fevereiro do ano passado, o indicador cresceu 3,9%.

A produção de gás no Brasil somou 56,849 milhões de metros cúbicos diários, com retração de 6% em relação a janeiro deste ano, mas 7,1% superior a fevereiro do ano passado.

O comunicado divulgado pela Petrobras destaca também o início da produção de óleo no FPSO BW Cidade de São Vicente, em 27 de fevereiro. A embarcação está instalada na área de Iracema, no pré-sal da Bacia de Santos, e foi conectada ao poço RJS-647, em águas onde a profundidade é de 2.212 metros. "Essa plataforma deve operar na área por um período de aproximadamente seis meses, com o objetivo de coletar informações técnicas sobre o comportamento dos reservatórios e escoamento do petróleo nas linhas submarinas, entre outros dados", informou a estatal.

Baúna e Piracaba

A Petrobras concluiu os TLDs feitos nas áreas de Tiro e Sídon, e com isso apresentou à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) a declaração de comercialidade dessas acumulações de petróleo e gás. A solicitação ocorreu em 17 de fevereiro. Com o a conclusão dessa etapa, as duas áreas passaram a ser denominadas Baúna e Piracaba, respectivamente. Esses campos estão localizados no bloco exploratório BM-S-40, na porção Sul da Bacia de Santos, no pós-sal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.