Petrobrás propõe capitalização até julho com base em laudo próprio

Processo ainda depende de aprovação do projeto de lei pelo Congresso, diz estatal em comunicado

Nicola Pamplona, da Agência Estado,

30 de abril de 2010 | 19h39

A Petrobrás informou nesta sexta-feira, 30, que foi orientada pelo seu conselho de administração a realizar a capitalização até julho de 2010, independente da análise da Agência Nacional do Petróleo (ANP) sobre o valor das reservas que serão usadas no processo de cessão onerosa.

 

Em comunicado divulgado nesta sexta, a empresa informou que mantém a meta para realizar a operação, mas que o processo ainda depende de aprovação do projeto de lei 5.941/2009 pelo Congresso. De todo modo, o conselho de administração da companhia autorizou uma negociação direta com a União sobre o valor dos barris que serão usados peara a cessão onerosa. Esse processo será feito com base em auditoria interna da Petrobrás.

 

A medida foi adotada em resposta a problemas de prazo no processo de auditoria pela ANP, que vai receber as propostas em licitação para contratar um auditor independente apenas no próximo dia 27. Depois disso, a empresa contratada terá 90 dias, prorrogáveis por mais 45, para realizar o trabalho.

 

No comunicado, a Petrobrás explica que fará uma ajuste de contas com a União após o fim da auditoria da ANP, caso a valorização dos barris seja diferente da feita pela estatal. A capitalização, diz a empresa, terá seu valor definido "em uma faixa que comporte qualquer cenário decorrente da finalização da tramitação do Projeto de Lei", ou seja, até o limite de 5 bilhões de barris.

 

A capitalização será feita por meio de oferta pública de ações, com preferência para os atuais acionistas. Uma segunda revisão do valor dos barris será feita, segundo prevê o projeto de lei, um ou dois anos após o processo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.