Petrobras quer nível de utilização em refinarias elevado

Após alcançar uma taxa de 98% de utilização nas atividades de refino ao longo do primeiro trimestre de 2013, a Petrobras pretende manter o indicador em patamares considerados elevados ao longo do ano. Sem revelar metas de números, o diretor de Abastecimento, José Carlos Cosenza, afirmou que o "desafio" é importante, mas que esse é um objetivo a ser buscado.

ANDRÉ MAGNABOSCO, Agencia Estado

29 de abril de 2013 | 12h17

"Nossa meta de refinarias é manter o nível de processamento elevado porque proporciona redução de custo de produto vendido. O nível atual é bastante elevado, mas estamos trabalhando para isso", disse Cosenza.

Questionado se é possível que a taxa de utilização volte a crescer nos próximos trimestres, o executivo disse que melhorar "é sempre possível", mas ressaltou o já alto nível de utilização da empresa. "Temos unidades novas que estão entrando e vão nos ajudar", ressaltou. Em 2014 entra em operação o primeiro trem da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Sgundo o executivo, o cronograma da unidade, assim como a do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), está dentro do prazo esperado pela companhia.

Em relação aos projetos das refinarias Premium I e Premium II, a Petrobras mantém análises para torná-las rentáveis. "Queremos ter refinarias operando com rentabilidade, agregando resultado para a companhia", disse Cosenza.

O executivo também revelou que o ritmo de paradas para manutenção no segundo trimestre deve ser maior do que no primeiro trimestre deste ano. Entre o segundo e o terceiro trimestres deste ano, a Petrobras deve concentrar atividades de manutenção em unidades de médio e pequeno porte. No quarto trimestre a Petrobras realizará uma parada mais expressiva em São Paulo. "Queremos compensar (as paradas) com as outras refinarias", disse o executivo.

Com esse ritmo de produção, a Petrobras pretende "estabilizar" o volume de importações de derivativos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.