Petrobras terá caixa 'polpudo' de US$ 25 bi, diz Mantega

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou hoje que a Petrobras passará a deter um caixa "polpudo" de US$ 25 bilhões após seu processo de capitalização, que movimentou até R$ 120,360 bilhões, conforme registrado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Os recursos serão usados para viabilizar o plano de investimentos da companhia. "A Petrobras fica agora habilitada a realizar com sucesso todo o seu plano de investimentos", afirmou Mantega, durante cerimônia na BM&FBovespa, em São Paulo, que marca a oferta pública de ações da estatal.

VINICIUS PINHEIRO, Agencia Estado

24 de setembro de 2010 | 10h53

De acordo com o ministro, a participação da União na companhia sobe de 40% para 48% após a capitalização. Essa fatia inclui, além das ações diretas da União, os papéis do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Fundo Soberano Brasileiro (FSB). Segundo Mantega, os acionistas minoritários também tiveram ampla participação no processo. "Permita-me dizer que nunca na história deste País e no mundo ocorreu uma operação desse porte", afirmou, arrancando sorrisos da plateia que acompanhava a cerimônia. O ministro destacou que a Petrobras passa a ser a segunda maior empresa do setor de petróleo no mundo em valor de mercado, atrás apenas da Exxon, com US$ 220 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.