Petrobrás terminará 8 plataformas em 2013, informa Graça

Novas plataformas de petróleo ajudarão no cumprimento da meta de dobrar a produção no País até 2020

Gustavo Porto e Renan Carreira, Agência Estado

16 de setembro de 2013 | 11h17

SÃO PAULO - A presidente da Petrobrás, Graça Foster, afirmou nesta segunda-feira, 16, em Porto Alegre (RS), na cerimônia de assinatura do contrato para construção da P-75 e da P-77 do Polo Naval do Rio Grande, que a companhia terminará, ainda em 2013, oito plataformas de petróleo que ajudarão no cumprimento da meta de dobrar a produção no País até 2020.

"Temos 90% contratado para que em 2020 tenhamos o dobro do que produzimos hoje, ou seja, 4,2 milhões de barris", disse Graça. De acordo com ela, após a P-63, já entregue, a P-55 fará o teste de mar amanhã "e seguirá para trabalhar, pois precisa se pagar".

Graça elogiou o trabalho conjunto da Petrobrás com empresas brasileiras e estrangeiras e ainda o estaleiro de Rio Grande, de onde três das oito plataformas saíram: além P-63 e da P-55, a P-58 será entregue em 15 dias. "A curva de aprendizagem é espetacular. Estamos muito próximos de voltar a ser um dos maiores centros de excelência no mundo", disse. "Não é mais difícil fazer aqui, do que fora", completou Graça, numa referência à complexidade da produção dos equipamentos.

Graça elogiou ainda os trabalhadores, os quais, segundo ela, "têm feito acontecer a Petrobrás e viabilizado a companhia". A cerimônia, com a presença da presidente Dilma Rousseff, além da visita às obras da plataforma P-55, estavam previstas para Rio Grande, mas a assinatura do contrato foi transferida para Porto Alegre, devido ao mau tempo.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrasGraça Foster

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.