Sergio Moraes/Reuters - 9/12/2019
Sergio Moraes/Reuters - 9/12/2019

Petrobras vende fábrica de fertilizantes em MS para grupo russo Acron

Estatal colocou a unidade à venda em setembro de 2017, alegando que não tinha mais interesse em seguir no segmento de fertilizantes

Denise Luna, O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2022 | 16h24

A Petrobras fechou a venda da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados (UFN III), em Mato Grosso do Sul, para o grupo russo Acron, após cinco anos de tentativas e depois de uma negociação frustrada com o mesmo grupo em 2019. O anúncio foi feito nesta sexta-feira, 4, pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, pré-candidata ao Senado, em visita ao estado para lançamento de pacotes de obras de R$ 70 milhões para macrodrenagem e pavimentação em Três Lagoas, onde a unidade está instalada. A estatal confirmou a venda da UFN III em fato relevante.

Segundo a ministra, a informação foi recebida por telefone do próprio presidente da estatal, general Joaquim Silva e Luna, conforme informa o site do governo do Estado anfitrião. Luna esteve no final do mês passado com o governador de Mato Grosso do Sul, Ronaldo Azambuja, quando já havia indicado que as negociações para a venda do ativo estavam avançadas.

A UFN III é uma unidade industrial de fertilizantes nitrogenados localizada em Três Lagoas, que teve a sua construção iniciada em setembro de 2011, sendo interrompida em dezembro de 2014, quando o projeto já estava cerca de 81% executado. Após concluída, a unidade terá capacidade projetada de produção de ureia e amônia de 3.600 toneladas por dia e 2.200 toneladas por dia, respectivamente. As condições da venda ainda não foram divulgadas.

De acordo com o secretário Jaime Verruck, da secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul, as condições da negociação devem ser divulgadas pela Petrobras em fato relevante na semana que vem. Ele explicou, no site do governo do Estado, que o governo, a Prefeitura de Três Lagoas, a Petrobras e a Acron vão se reunir para negociar doação de terreno e concessão de incentivos fiscais.

A Petrobras colocou a unidade à venda em setembro de 2017, alegando que não tinha mais interesse em seguir no segmento de fertilizantes. A empresa russa manifestou interesse na compra da fábrica, mas depois desistiu diante do empecilho para o fornecimento do gás natural, que viria da Bolívia. Com o avanço das negociações, a venda foi finalmente fechada, segundo a ministra.

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrásRússiafusão de empresas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.