Petróleo e setor financeiro levantam Wall Street

As bolsas de valores dos Estados Unidos fecharam em alta nesta quinta-feira, depois de uma corretora melhorar sua avaliação para os bancos do país.

ELLIS MNYANDU, REUTERS

04 de junho de 2009 | 18h13

Além disso, os preços do petróleo no mercado futuro e de outras commodities impulsionaram os papéis de empresas ligadas a recursos naturais, por apostass de que a queda na atividade econômica está diminuindo.

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, avançou 0,86 por cento, para 8.750 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq subiu 1,32 por cento, para 1.850 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve valorização de 1,15 por cento, a 942 pontos.

A RBC Capital Markets elevou a recomendação do setor bancário, afirmando que as instituições foram contagiadas por um momento otimista do mercado. O índice de bancos KBW ganhou 4,8 por cento.

A alta nos preços do petróleo sustentou o mercado, depois que o Goldman Sachs elevou a previsão dos preços da commodity para 85 dólares o barril no final do ano, dizendo que a estabilização econômica e a redução dos estoques serão favoráveis aos preços.

O petróleo subiu 4 por cento, a 68,81 dólares o barril, na Bolsa Mercantil de Nova York.

"O maior ganho do petróleo, não somente hoje, está animando o mercado. É um indicativo de demanda", disse Cleveland Rueckert, analista de mercado da Birinyi Associates, em Stamford, Connecticut.

Mas Rueckert afirmou que prefere os preços da commodity por volta de 60 dólares o barril. "Você não quer ver o mesmo que aconteceu no ano passado, quando o petróleo... tornar-se um peso para muitos dos consumidores que deveriam promover o crescimento econômico."

O salto nos preços das commodities impulsionou as ações de companhias ligadas a matérias-primas. Os papéis da Alcoa avançaram 6,2 por cento, enquanto os da Newmont Mining subiram 2,2 por cento.

O indicador S&P para matérias-primas ganhou 2,2 por cento, ao passo que o ouro avançou 3,3 por cento.

Entre os bancos, as ações do Bank of America dispararam 6 por cento. As do Wells Fargo tiveram alta de 4,02 por cento.

Os papéis do JP Morgan ganharam 4,03 por cento, uma das maiores altas do índice Dow Jones. O Citigroup elevou o preço-alvo das ações do banco e disse que considera as perdas comerciais reais da instituição gerenciáveis.

Tudo o que sabemos sobre:
WALLSTFECHAATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.