Petrolíferas estrangeiras querem prorrogar acordos, di Equador

O ministro equatoriano doPetróleo, Galo Chiriboga, disse na terça-feira que aspetrolíferas estrangeiras querem que o governo prorrogue aduração de contratos num momento em que o governo buscarenegociar os acordos. As propostas, vistas favoravelmente pelo ministro, sãoparte das conversas para renegociação, nas quais o governo querque as empresas troquem seus contratos para permitir ao Estadomanter o petróleo sob seu controle ao invés de compartilhar oproduto. "Essas propostas preenchem as expectativas do governo e, nogeral, elas buscam ampliar o período de validade para cobrir osinvestimentos (das empresas)", disse Chiriboga à Reuters. O presidente equatoriano, Rafael Correa, recentementeelevou o royalty cobrado sobre a receita das empresasestrangeiras na busca por maior controle sobre os recursosenergéticos do país. A mudança na cobrança dos royalties deve implicar em umaredução de 700 milhões de dólares na receita das petrolíferasestrangeiras que operam no país, como Petrobras, a espanholaRepsol e a chinesa Andes Petroleum. Chiriboga não deu detalhes sobre as outras condiçõespropostas pelas empresas. A maioria dos contratos vence entre 2010 e 2012. Correa temagora de analisar as propostas, mas o ministro não estabeleceuuma data para a decisão sobre a questão. (Colaborou Carlos Andrade in Quito)

ALEXANDRA VALENCIA, REUTERS

30 de outubro de 2007 | 23h51

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAEQUADORPETROLIFERAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.