Petros diz ter R$1,5 bi para projetos da Petrobras no pré-sal

O presidente da Petros, fundo de pensão da Petrobras, Wagner Pinheiro, afirmou que está interessado em futuros projetos do pré-sal, e que tem uma disponibilidade de caixa de cerca de 1,5 bilhão de reais para investir na nova fronteira petrolífera do país, que vai precisar de 28,8 bilhões de dólares até 2013.

REUTERS

23 de junho de 2009 | 11h07

Segundo ele, a proposta da Petros é fazer um "project finance" com a Petrobras na área do pré-sal.

"Já temos um project finance no campo de Marlim. A ideia é fazer isto também no pré-sal", disse ele à Reuters no Rio de Janeiro. "Não temos prioridade (de projetos), queremos entrar no pré-sal", acrescentou.

Ele afirmou que o fundo de pensão tem limite legal que a impede de aplicar mais de 10 por cento de seus investimentos na Petrobras, uma das patrocinadoras do fundo.

A Petros já tem aplicadas cerca de 2,5 bilhões de reais em projetos da estatal. "Sendo assim, temos um fôlego de 1,5 bilhões de reais para o pré-sal", destacou.

META ATUARIAL

Apesar da crise e da turbulência no mercado, Pinheiro aposta que a meta atuarial prevista para este ano será superada pelo fundo de pensão.

Segundo ele, as projeções da carteira do fundo apontam para uma rentabilidade de inflação pelo IPCA (Índice de Preço ao Consumidor Amplo) mais 9 por cento.

Pinheiro ressaltou, no entanto, que o resultado deste ano não será suficiente para cobrir as perdas registradas no ano passado.

"Vamos compensar em parte, o ano passado foi ruim por causa da crise, mas este ano estamos conseguindo nos recuperar", informou.

Segundo ele, 24 por cento da carteira da Petros está aplicada em renda variável e a meta é voltar ao patamar de 30 por cento no ano que vem. Antes da crise, este nível chegou a ser superior a 30 por cento.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAPETROS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.