Peugeot prevê prejuízo significativo no 2º semestre

Guerra de preços deve levar montadora a ter fluxo de caixa negativo

Danielle Chaves, da Agência Estado,

14 de dezembro de 2011 | 11h05

A montadora francesa Peugeot Citroën anunciou que espera um prejuízo operacional significativo no segundo semestre deste ano, enquanto enfrenta uma guerra de preços e um excesso de capacidade na Europa no segmento de subcompactos, no qual as margens são pequenas. Às 10h50 (de Brasília), as ações da empresa caíam 0,21% na Bolsa de Paris.

Em um pronunciamento à comissão econômica da Assembleia Nacional francesa, Philippe Varin, executivo-chefe do segundo maior grupo do setor automotivo da Europa atrás da alemã Volkswagen, disse que o prejuízo operacional no segundo semestre será significativo e o fluxo de caixa será negativo.

Para todo o ano, segundo Varin, não houve mudanças na previsão de que a divisão de automóveis ficará perto do equilíbrio entre receita e despesa no nível operacional. "Estamos em linha com as diretrizes que foram dadas", disse o executivo.

Em outubro, a Peugeot emitiu um alerta de lucro e anunciou um novo plano de austeridade para reduzir os custos fixos em 800 milhões de euros, em uma tentativa de melhorar sua lucratividade. Varin afirmou que na França, que é o maior mercado para a companhia, as vendas de carros e vans leves provavelmente vão cair em 2012.

O executivo defendeu a estratégia da Peugeot de expandir sua produção no exterior, dizendo que a meta de ter 50% de suas vendas fora da Europa até 2015, em comparação com 39% atualmente, não deve ser considerada um plano contra a França. O executivo prevê que a empresa terá dois terços de suas vendas fora da França na virada da década, graças ao aumento da demanda na China, na Índia e em outras economias com rápido crescimento. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Peugeotprejuízo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.