PF faz operação em RS e PA contra fraude na Caixa

Polícia Federal estima prejuízos de R$ 20 milhões para a Caixa

Fausto Macedo, de O Estado de S. Paulo,

24 de novembro de 2011 | 14h06

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta feira operações simultâneas no Rio Grande do Sul e no Pará para cumprir 38 mandados de prisão preventiva e 59 mandados de buscas. Os alvos da PF são fraudadores contra a Caixa Econômica Federal.

Pela internet eles tinham acesso a dados pessoais de clientes da instituição e faziam transferências bancárias ilícitas. A PF estima prejuízos de R$ 20 milhões para a Caixa.

O delegado Carlos Eduardo Sobral, chefe do Serviço de Repressão a Crimes Cibernéticos da PF, está convencido de que os investigados montaram uma "empresa do crime".

"Atuavam há muito tempo, com estrutura de informática e prestavam serviços para outros grupos até no exterior", informou Sobral. "Uma quadrilha organizada, com divisão de funções e criação de empresas fictícias, constituídas formalmente para fazer o fluxo do dinheiro." A investigação da PF teve início em abril de 2010.

Contra fraudes na Caixa a PF montou a Operação Tentáculos. Cada golpe é comunicado imediatamente à PF, que rastreia os fraudadores.

Em um ano a PF já realizou 13 operações que reduziram em 66% o índice de fraudes contra a Caixa, informou o delegado Sobral.

Ele anota que os fraudadores têm acesso a computadores de clientes da Caixa. "Empregam altíssima tecnologia para fraudes no internetbank", avalia.

A PF identificou a ação de dois grupos que interagiam entre o Rio Grande do Sul e o Pará - as operações deflagradas nesta quinta feira se estenderam a seis municípios gaúchos (Porto Alegre, Canoas, Esteio, São Leopoldo, Tramandaí e Sapucaia do Sul) e a Marabá, no Pará. Também houve prisões em Goiânia e em Curitiba.

A PF requereu à Justiça Federal sequestro de todos os bens dos alvos da investigação.

Foram confiscados imóveis e automóveis de luxo, inclusive um Porsche.

Os presos vão ser indiciados por furto mediante fraude, formação de quadrilha, interceptação telemática e lavagem de dinheiro.

Tudo o que sabemos sobre:
Polícia FederalCaixa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.