PIB cresceu 0,5% no segundo trimestre, mostra projeção do Itaú

Cálculos do banco apontam ligeira expansão da economia na comparação com o primeiro trimestre do ano

Francisco Carlos de Assis, da Agência Estado,

21 de agosto de 2012 | 13h54

SÃO PAULO - Levantamento prévio do Itaú Unibanco aponta expansão de 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre deste ano na comparação com o primeiro trimestre, com o ajuste sazonal. Na comparação com o segundo trimestre do ano passado, a expectativa do Itaú Unibanco é de crescimento de 0,6%.

O levantamento prévio do Itaú Unibanco aponta uma ligeira expansão de 0,1% da economia medida pelo PIB em julho, na comparação com junho, e um crescimento de 2,1% sobre julho do ano passado. Em junho, o PIB calculado pela instituição cresceu 0,8% na comparação com maio, já descontados os efeitos sazonais. Na comparação com junho do ano passado, a expansão do PIB foi de 1,5%.


O PIB oficial, calculado pelo IBGE na pesquisa de Contas Nacionais Trimestrais será divulgado na próxima semana, no dia 31 de agosto.


Influência do IPI

A redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para bens de consumo duráveis, especialmente para automóveis, foi o principal impulso para o crescimento de 0,80% do PIB do Itaú Unibanco (PIBIU) em junho na comparação com maio. De acordo com os economistas do banco Ilan Goldfajn e Aurélio Bicalho, se não fosse a redução do IPI, o PIBIU teria caído 0,10%.


Por outro lado, pondera Bicalho, o crescimento da economia em junho ficou concentrado praticamente sobre um único setor - o automotivo. A boa notícia é que, a partir deste terceiro trimestre e mais ainda no quarto, o  crescimento tende a se dar de forma mais generalizada. No segundo semestre, a expansão da indústria no PIB ficará mais parecida com a produção mensal da indústria, segundo os economistas do Itaú Unibanco. 

Câmbio

O Itaú Unibanco elevou sua projeção de câmbio para o final do ano, de R$ 1,85, na previsão feita em maio, para R$ 1,95 agora. O mesmo ocorreu para as estimativas sobre o dólar no final de 2013, passando de R$ 1,87 para R$ 1,90. 

Conta corrente

Para a conta corrente, o banco reduziu sua projeção de déficit para este ano de 2,3% do PIB, em maio, para 2,2%. Para o próximo ano, a projeção da instituição é de que o déficit em conta corrente fique em 2,4% do PIB. Em maio, o Itaú esperava déficit de 2,6% do PIB.

Tudo o que sabemos sobre:
PIBprevisãoItaú

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.