PIB do Reino Unido do 4º trimestre é revisado para alta de 0,4%

Estimativa original era de crescimento de 0,3% no período

Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

30 de março de 2010 | 09h10

O Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido do quarto trimestre de 2009 foi revisado em alta, para expansão de 0,4%, informou a Agência Nacional de Estatísticas. A estimativa original era de crescimento de 0,3%. A última revisão confirma que o Reino Unido saiu, nos últimos meses do ano passado, de sua pior recessão desde a Segunda Guerra Mundial.

 

Uma sondagem da Dow Jones realizada junto a economistas na semana passada previa expansão de 0,4% do PIB no quarto trimestre em relação ao terceiro e declínio de 3,3% na comparação com 2008.

 

A revisão para cima do crescimento do PIB foi impulsionada por resultados melhores dos setores de serviços, construção e agricultura. No entanto, o avanço da economia do Reino Unido no quarto trimestre de 2009 continuou dependendo em grande parte dos gastos do governo e de um menor encolhimento dos estoques das empresas em comparação com trimestres anteriores.

 

"A notícia de hoje confirma que a recessão terminou com um crescimento razoável no quarto trimestre de 2009, mas os fatores que impulsionaram o crescimento nesse trimestre provavelmente estarão menos presentes em 2010", observou Charles David, economista sênior do Centro de Pesquisa Econômica e de Negócios. "Para que se volte a ter um crescimento sustentado é necessário aumentar as exportações e os investimentos", prosseguiu.

 

De acordo com a Agência Nacional de Estatísticas, a economia do Reino Unido contraiu-se 3,1% no quatro trimestre de 2009 em comparação com o mesmo período do ano anterior, ficando abaixo do declínio de 3,3% estimado anteriormente. No ano de 2009, o PIB do Reino Unido recuou 4,9%, pouco abaixo da estimativa anterior de contração de 5,0%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
PIBReino Unidocrescimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.