PIB preliminar da zona do euro sobe 0,1% no 3º trimestre

Na comparação anual, o PIB do bloco recuou 0,4% entre julho e setembro, mais do que a previsão média de queda de 0,3% 

Agência Estado,

14 de novembro de 2013 | 08h44

O Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro subiu 0,1% no terceiro trimestre ante os três meses anteriores, segundo dados preliminares divulgados nesta quinta-feira, 14, pela Eurostat, a agência de estatísticas da União Europeia. O número veio em linha com a expectativa de analistas consultados pela Dow Jones Newswires. Já na comparação anual, o PIB do bloco recuou 0,4% entre julho e setembro, mais do que a previsão média de queda de 0,3%.

Em base anualizada, o PIB da zona do euro teve expansão de apenas 0,4% no terceiro trimestre, ante uma alta consideravelmente maior de 1,2% verificada no segundo trimestre.O resultado da zona do euro foi influenciado pela desaceleração da economia alemã e por contrações na França e Itália no terceiro trimestre.

Antes do segundo trimestre, o PIB do bloco apresentou retrações por seis trimestres seguidos, do fim de 2011 até os três primeiros meses deste ano.  

Alemanha. A Alemanha anunciou um crescimento ajustado de 0,3% no terceiro trimestre, na comparação com o trimestre imediatamente anterior. Com isso, o PIB se desacelera sobre o crescimento de 0,7% no segundo trimestre, mas o número vem em linha com o esperado por analistas consultados pela Market News International.

 

A desaceleração já era esperada por conta de uma forte recuperação no trimestre anterior, quando a economia foi influenciada pelo setor de construção e por efeitos climáticos. A agência de estatísticas Destatis disse que apenas o setor doméstico apresentou contribuições positivas no trimestre, com ganhos tanto no consumo privado e no do governo.

 

As exportações líquidas tiveram contribuição negativa ao PIB, uma vez que as importações continuaram a crescer ao passo que as exportações mostraram "pouco momentum", informou a agência de estatísticas do país.

 

Na comparação anual, o PIB da Alemanha cresceu 0,6%, acima do 0,5% registrado no segundo trimestre. Analistas consultados pela MNI projetavam um ganho de 0,7% na passagem anual. Os dados detalhados do PIB alemão serão divulgados pela Destatis em 22 de novembro.

França. A economia da França caiu 0,1% no terceiro trimestre deste ano, na comparação com o trimestre imediatamente anterior, depois de ter saído da recessão no período de abril a junho.

O PIB foi pressionado por um crescimento mais fraco nos gastos do consumidor e pela queda nas exportações e nos investimentos, informou a agência de estatística francesa Insee.

No segundo trimestre a França havia divulgado um crescimento de 0,5% no PIB, o que o governo havia exaltado como um sinal de que a França havia escapado de um longo período de flutuações entre contrações trimestrais e fracas expansões.

Portugal. O PIB de Portugal avançou 0,2% no terceiro trimestre antes os três meses anteriores, segundo dados preliminares divulgados hoje no site do Instituto Nacional de Estatística (INE). Na comparação anual, no entanto, houve queda de 1,0% do PIB português entre julho e setembro.

Itália. A economia da Itália não surpreendeu o mercado e contraiu 1,9% no terceiro trimestre deste ano, na comparação com o mesmo período do ano anterior. Na comparação trimestral, o PIB também não surpreendeu e caiu 0,1%. Os números foram divulgados pelo Instituto Nacional de Estatísticas, Istat.

Com isso, o PIB da Itália registra contração na comparação trimestral pelo nono trimestre consecutivo. O Istat divulgou que a economia foi pressionada no terceiro trimestre pelos setores de serviços e agricultura, enquanto a indústria mostrou uma contribuição positiva ao PIB, embora não tenha fornecido mais detalhes.

Grécia. A economia da Grécia teve uma contração menor no terceiro trimestre do que no segundo, ajudada por uma forte temporada no setor de turismo, de acordo com dados preliminares divulgados pela agência de estatísticas do país.

O PIB da Grécia teve uma contração de 3,0% no terceiro trimestre ante o mesmo período do ano passado. No segundo trimestre, a taxa anual de atividade econômica no país havia registrado uma queda de 3,7%.

A economia da Grécia está pronta para voltar a crescer em 2014, após a contração de seis anos consecutivos. Em suas últimas previsões econômicas, a Comissão Europeia reafirmou recentemente a sua previsão de que o PIB da Grécia deverá ter expansão de 0,6% no próximo ano - depois de contração de 4,0% neste ano. Segundo a Comissão, a economia da Grécia deverá crescer a uma taxa de 2,9% em 2015.

(Fonte: Dow Jones Newswires)

Tudo o que sabemos sobre:
zona do euroPIBrecessão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.