Piloto de Tupi será limitado a 14 mil barris por dia até dezembro, diz Petrobrás

A limitação é imposta pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), que definiu o teto de 500 mil barris por dia para queima de gás no projeto

Nicola Pamplona, da Agência Estado,

25 de outubro de 2010 | 15h44

O presidente da Petrobrás, José Sergio Gabrielli, informou há pouco, por meio de sua assessoria de imprensa, que o projeto piloto de Tupi terá sua produção limitada a 14 mil barris por dia até dezembro, quando entra em operação o gasoduto Caraguatatuba-Taubaté, hoje em obras. A limitação é imposta pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), que definiu o teto de 500 mil barris por dia para queima de gás no projeto.

Assim que o gasoduto estiver pronto, disse a empresa, novos poços serão conectados à plataforma, ampliando a produção até a capacidade máxima de 100 mil barris por dia. O projeto piloto de Tupi será inaugurado nesta quinta-feira, com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

Tudo o que sabemos sobre:
PetrobrásGabrielliTupiprojeto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.