Porcos ficam sem ração por causa de protestos de caminhoneiros

Segundo a Aurora, caminhões que levam rações para propriedades rurais e que transportam aves, suínos e leite in natura foram retidos nas barreiras montadas pelos manifestantes

Venilson Ferreira, de O Estado de S.Paulo,

02 de julho de 2013 | 11h24

BRASÍLIA - Caminhoneiros fizeram 33 protestos em 9 Estados brasileiros nesta segunda-feira, 1º de julho. Em Santa Catarina, a Coopercentral Aurora Alimentos informou que, a partir de hoje, reduzirá ou paralisará as atividades em cinco plantas industriais.

Segundo a Aurora, os caminhões que levam rações para as propriedades rurais e os que transportam aves, suínos e leite in natura foram retidos nas dezenas de barreiras montadas pelos manifestantes. As indústrias estão sem matéria-prima para processar e os produtores, sem receber a ração para alimentar os plantéis de 20 milhões de aves e 800 mil suínos.

O frigorífico de São Miguel do Oeste, por exemplo, anunciou que reduzirá em 50% o abate diário de suínos, que baixará de 1,9 mil para 950 animais/dia. Já o frigorífico de aves de Maravilha suspenderá em 100% as atividades e deixará de abater e processar 145 mil frangos/dia. Cerca de 2 mil trabalhadores serão dispensados hoje.

 

Tudo o que sabemos sobre:
pedágiocaminhoneiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.