Porto Seguro lucra R$ 231 mi no 4º trimestre de 2013

A Porto Seguro apresentou lucro líquido sem business combination, ou seja, sem contar os negócios com o Itaú, de R$ 232,9 milhões no quarto trimestre de 2013, recuo de 8,3% ante o visto no mesmo intervalo de 2012. Com business combination - valor de todo intangível - marca, canal de distribuição etc - com o Itaú -, o lucro da seguradora foi de R$ 231 milhões, queda de 8,4%, na mesma base de comparação. O lucro reportado é sem efeito não recorrente, ou seja, não considera os ganhos da causa tributária Cofins, no valor de R$ 702 milhões, líquido de impostos e despesas.

EULINA OLIVEIRA E ALINE BRONZATI, Agencia Estado

14 de fevereiro de 2014 | 09h26

O lucro líquido reportado pela Porto Seguro no quarto trimestre de 2013 ficou dentro da média das estimativas de quatro casas consultadas pelo Broadcast, serviço de informações em tempo real da Agência Estado, (Deutsche Bank, Safra, UBS e outra que prefere não ser identificada), que era de R$ 241 milhões. O business combination inclui os negócios com o Itaú. Esse lucro apurado não considera os ganhos da causa tributária Cofins, no valor de R$ 702 milhões, líquido de impostos e despesas.

O Broadcast considera em linha quando os números apresentados pela companhia ficam até 5% acima ou abaixo da média das projeções coletadas.

Ano

No acumulado de 2013, o lucro líquido sem business combination totalizou R$ 711 milhões, o que corresponde a uma alta de 1,3% ante o ano anterior. Com business combination, o lucro líquido foi de R$ 703,5 milhões, aumento de 3,1%.

Os prêmios totais auferidos pela Porto Seguro entre outubro e dezembro de 2013 somaram R$ 3,202 bilhões, alta de 19,7% em relação aos registrados no quarto trimestre de 2012. No acumulado do ano passado, os prêmios auferidos totalizaram R$ 11,575 bilhões, aumento de 19,8%

A sinistralidade total da Porto Seguro foi de 52,8% no quarto trimestre do ano passado, recuo de 2,7 pontos porcentuais em comparação com o indicador apresentado um ano antes.

O retorno sobre o patrimônio líquido anualizado (ROAE) ficou em 21% (no conceito sem business combination) ao final de dezembro, queda de 3,2 pontos porcentuais em relação ao quarto trimestre do ano anterior. Com business combination, o ROAE foi de 17,6%, queda de 2,5 pontos porcentuais.

O índice combinado de seguros (que mede a eficiência operacional, quanto menor, melhor) ficou em 96,4% no quarto trimestre de 2013, ante 96,7% registrado um ano antes. O índice combinado ampliado de seguros, que desconsidera os valores ganhos da causa tributária Cofins, foi de 92,7% no quarto trimestre, avanço de 3,3 pontos porcentuais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.