Portugal corta 1,9% em gastos nos quatro primeiros meses do ano

Receita com impostos subiu 2,2% no mesmo período, levando a um reduçãode 298,1 milhões de euros no déficit do orçamento federal

Álvaro Campos e Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

20 de maio de 2010 | 16h11

O governo federal de Portugal reduziu seus gastos totais nos quatro primeiros meses de 2010 em 1,9%, em comparação com o mesmo período do ano passado, informou nesta quinta-feira o Ministério das Finanças do país.

A receita com impostos subiu 2,2% no mesmo período, levando a um redução de 298,1 milhões de euros no déficit do orçamento federal, que ficou em 4,56 bilhões de euros. O valor do déficit exclui os gastos dos governos regionais e locais e com o sistema de segurança social.

A receita com os impostos de valor agregado (VAT, em inglês) subiu 14,8% nos quatro primeiros meses, para 3,7 bilhões de euros, enquanto a receita com os impostos de renda caiu 20,1%, para 2,2 bilhões de euros.

Espanha

O governo da Espanha aprovou medidas que preveem cortes salariais no setor público e o congelamento de pensões, afirmou a vice-primeira-ministra espanhola, Maria Teresa Fernandez de la Vega, durante uma entrevista coletiva.

No início desse mês, os líderes da União Europeia anunciaram, em conjunto com o Fundo Monetário Internacional, um plano de € 750 bilhões para conter as preocupações dos investidores com a situação fiscal de alguns membros da zona do euro. Em troca, foi solicitado aos países do bloco que possuem um elevado déficit orçamentário, como Espanha e Grécia, que adotassem novas medidas de austeridade fiscal.

As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
Portugaldívidacrisefinanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.