Portugal vê com bons olhos interesse de Brasil por EDP

O primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, disse que as propostas de empresas brasileiras pela fatia do governo português na Energias de Portugal (EDP) são vistas "com bons olhos", após uma reunião com a presidente Dilma Rousseff nesta quinta-feira.

REUTERS

27 de outubro de 2011 | 21h48

"Evidentemente não vim negociar com o governo brasileiro a privatização da EDP, mas conversamos sobre a situação. As propostas brasileiras são propostas que vemos com muito bons olhos, não nego", disse em coletiva de imprensa.

As empresas brasileiras Eletrobras e Cemig ofereceram propostas pela fatia de 21,35 por cento do governo português na EDP, semana passada. Outras quatro empresas estrangeiras também manifestaram o interesse pela participação na companhia portuguesa.

Durante o encontro em Brasília, as autoridades discutiram possibilidades de alianças estratégicas entre empresas portuguesas e brasileiras.

"Se estamos disponíveis para fazer uma verdadeira aliança estratégica com o Brasil, não faria sentido que não olhássemos com bons olhos a participação de empresas brasileiras nesse processo de privatização, mas aí é absolutamente prematuro, nesta altura em que o processo esta iniciado, fazer quaisquer considerações sobre o seu desenvolvimento", disse ainda ao ser questionado sobre o interesse de empresas brasileiras na EDP.

O primeiro-ministro ainda negou que tenha discutido com a presidente a compra de títulos da dívida portuguesa pelo Brasil.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAEDPPRIMEIROMINISTRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.