Portugueses acusam Telefónica de tentar chantagem

O presidente executivo da Portugal Telecom (PT), Zeinal Bava, acusou a Telefónica de tentativa de chantagem. De acordo com agências internacionais, citando declarações do executivo na imprensa portuguesa, ele considerou "a tentativa de chantagem da Telefónica" sobre a questão da distribuição de dividendos da Vivo "inaceitável".

CLARISSA MANGUEIRA, Agencia Estado

26 de maio de 2010 | 11h53

As declarações de Bava foram uma resposta aos comentários do diretor financeiro da Telefónica, Santiago Fernández Valbuena ao jornal britânico Financial Times sobre a possibilidade de a companhia partir para uma oferta hostil, se não puder persuadir a PT a vender a sua fatia de 50% na Brasilcel, joint venture pela qual as companhias controlam a operadora brasileira de telefonia móvel Vivo.

Segundo a agência de notícias Lusa, Bava afirmou ao Financial Times que, "por uma questão de coerência", Santiago Valbuena deveria "demitir-se do conselho de administração da Portugal Telecom porque está em falta com os seus deveres de lealdade para com a PT e tem conflitos de interesse". Para o executivo, ainda de acordo com a Lusa, o que está em cima da mesa "é uma defesa intransigente dos interesses da Portugal Telecom e do nosso foco na criação de valor acionário".

De acordo com o jornal português Diário Econômico, o presidente da PT disse, em um roadshow em Wall Street, nos EUA, que a oferta da Telefónica de 5,7 bilhões de euros pelo controle da Vivo "não satisfaz os interesses dos acionistas". "Já lançaram uma oferta sobre a PT e respondemos, criando valor para os acionistas", destacou Bava, lembrando a oferta lançada pela Sonae em 2006.

Tudo o que sabemos sobre:
telefoniaTelefónicaPortugal Telecom

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.