Prazo para Via Varejo vender lojas é confidencial

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) deve publicar em até dois meses a lista das 54 cidades onde a Via Varejo, do Grupo Pão de Açúcar, terá de se desfazer de lojas. O relator do caso votado nesta quarta-feira, 17, no órgão antitruste, Marcos Paulo Verissimo, confirmou a informação de que o total de ativos a serem alienados chega a 74, conforme fato relevante divulgado pelo Pão de Açúcar.

CÉLIA FROUFE E EDUARDO RODRIGUES, Agencia Estado

17 de abril de 2013 | 14h33

O prazo para a venda dessas lojas, no entanto, é confidencial. "Os ativos deverão ser adquiridos por uma ou mais empresas que tenham condições efetivas de rivalizar com a Via Varejo nos locais onde houve a intervenção do Cade. Isso significa ter escala e escopo regionais para negociar com fornecedores", completou Verissimo.

As operações de alienação, que constam no Termo de Compromisso de Desempenho (TCD) assinado nesta quarta-feira, 17, pela Via Varejo, serão acompanhadas pela Procuradoria-Geral do Cade e terão de passar pelo crivo do plenário do conselho antes de os negócios serem concluídos.

"O julgamento de hoje representou um avanço na jurisprudência do órgão em relação ao mercado de varejo de bens duráveis e é importante destacar que o remédio aplicado pelo Cade veio por meio de um acordo com as partes", avaliou Verissimo.

De acordo com o conselheiro, o tamanho da intervenção não levou em consideração o faturamento total das empresas envolvidas, mas sim a dimensão dos problemas concorrenciais identificados pelo órgão antitruste. "Não importa o faturamento, o objetivo é resolver o problema", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
CadePonto FrioCasas Bahiacidades

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.