Pré-pago vira prioridade global e Brasil é estratégico, diz MasterCard

Estudo encomendado pela bandeira mostra que cartões podem movimentar US$ 840 bilhões no mundo em 2017; só na América Latina, potencial é de US$ 81 bilhões

Altamiro Silva Junior, da Agência Estado,

29 de abril de 2011 | 13h19

A MasterCard elegeu os cartões pré-pagos como uma de suas prioridades globais para os próximos anos. Na recente revisão estratégica da bandeira americana, a área ganhou peso e o Brasil aparece como uma dos sete países no mundo em que o segmento será priorizado, segundo o vice-presidente de produtos da MasterCard, Marcelo Tangioni.

Um estudo encomendado pela bandeira mostra que esses cartões podem movimentar US$ 840 bilhões no mundo em 2017. Só na América Latina, o potencial é de US$ 81 bilhões. Atualmente, esse mercado gira cerca de US$ 12 bilhões na região. "Mais de 70% da população de mercados emergentes não é bancarizada, o que representa enorme oportunidade para o mercado de pré-pagos. É um segmento ainda pouco explorado", disse hoje o executivo em entrevista à imprensa.

A MasterCard está lançando, em parceria com o Banco PanAmericano, seu terceiro produto pré-pago no Brasil em menos de um mês. Em março, a bandeira lançou um cartão para viagens internacionais que pode ser carregado no Brasil e usado no exterior, em dólar, euro ou libra. Logo em seguida a bandeira lançou um cartão pré-pago de incentivos, que pode ser oferecido por empresas como um benefício a funcionários e usado, por exemplo, como vale-presente em lojas. O cartão do PanAmericano é o primeiro pré-pago que pode ser usado em qualquer compra na rede da MasterCard no Brasil e exterior, por isso foi chamado de "multiuso".

Tudo o que sabemos sobre:
MasterCardcartõespré-pagomercado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.