Preço do milho é o mais baixo em 15 meses, segundo Cepea

São Paulo, 6 - Os preços internos do milho bateram os mais baixos patamares em 15 meses, segundo análise do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Universidade de São Paulo (USP). A baixa na semana passada ficou em torno de 2% na maior parte das praças de comercialização do País. No porto de Paranaguá a semana terminou com preço nominal de compra em R$ 14,30/saca, com baixa de quase 4% em relação à sexta-feira anterior, pelos cálculos do Cepea. Não há perspectiva de recuperação de preço no curto prazo, considerando a fraqueza internacional representada pela gigantesca safra norte-americana, e ainda a boa evolução da safra de verão no Brasil. Mesmo considerados baixos, os preços domésticos ainda superam a paridade de exportação. O câmbio desfavorável também inibe as vendas externas, mas os embarques contratados antecipadamente serão efetivados. Em novembro, segundo o Cepea, o embarque de milho brasileiro foi de 145 mil toneladas, o menor volume mensal do ano. Desde fevereiro o País embarcou 4,33 milhões de toneladas, o que torna a previsão de embarque total de 4,5 milhões de toneladas factível até o final de janeiro. O Cepea lembra que já estão nomeados navios para embarque de 130 mil toneladas de milho em dezembro. O quadro deve ficar mais apertado no ano que vem, e a expectativa de exportação de 2,5 milhões de toneladas pode não se cumprir. O Cepea alerta que a desvalorização do dólar ante moedas internacionais importantes (não apenas contra o real) deve ampliar a competitividade dos EUA no mercado externo e "roubar" mercados do Brasil. Os EUA tendem a operar com agressividade nas exportações, porque colheram safra recorde este ano. A expectativa é de que o milho dos EUA responda por 67% das exportações mundiais em 2005. (segue)

Agencia Estado,

06 de dezembro de 2004 | 11h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.