Preço do minério de ferro refletirá diferença entre mercado à vista e contrato, diz Vale

De acordo com diretor da mineradora, volume negociado à vista já supera o de contratos de longo prazo

Mônica Ciarelli e Natalia Gómez, da Agência Estado,

11 de fevereiro de 2010 | 15h12

O volume negociado de minério de ferro no mercado à vista (spot) já superou o de contratos de longo prazo, por isso, a cotação do produto no spot reflete na realidade o preço de mercado do minério este ano, segundo o diretor executivo de Ferrosos da Vale, José Carlos Martins.

 

Ele afirmou que o preço à vista gira em torno de US$ 130 por tonelada, cifra duas vezes maior do que a negociada em contratos de longo prazo. Por isso, as siderúrgicas terão que levar essa diferença em consideração nas negociações de preço deste ano, em sua opinião.

 

Segundo ele, a Vale quer manter o sistema de benchmark, mas os preços não podem permanecer tão diferentes do mercado à vista porque isso cria uma arbitragem no sistema. "Há clientes que compram pelo preço de referência dos contratos de longo prazo e revendem no mercado spot", disse em teleconferência com analistas realizada há pouco.

 

Martins afirmou que 50% das vendas da companhias são à vista. Na China, este porcentual é 70%. Segundo ele, o país compra 600 milhões de toneladas de minério no mercado spot por ano das mineradoras.

 

Martins foi enfático ao afirmar que a Vale está preparada para atender de forma competitiva a demanda das siderúrgicas nos dois sistemas de negociação. "Não temos dogmas", afirmou. Entretanto, lembra que é importante definir um modelo de vendas que permita flexibilidade para lidar com variações de mercado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.