Preço dos remédios genéricos varia até 523% em SP

Segundo Procon-SP, entre os remédios de referência, a diferença de preços pode chegar a 135,81%

Economia & Negócios,

31 de maio de 2010 | 10h50

Os remédios genéricos têm diferença nos preços de até 523,81%, enquanto nos medicamentos de referência a variação é de até 135,81%. É o que constatou uma pesquisa da Fundação Procon-SP realizada  de  3  a  5  de  maio.

Segundo o órgão, o levantamento revela a importância de o consumidor comparar os preços em diversos estabelecimentos antes de efetuar uma compra. Os preços dos genéricos são, em média, 52,27% mais baratos do que os de referência de mesma apresentação.

A maior diferença entre os genéricos – de mais de 500% - foi encontrada na pesquisa do medicamento Diclofenaco Sódico. Entre os remédios de referência, a maior diferença foi registrada no Gardenal (Fenobarbital) – Sanofi-Aventis.

A Drogaria Pacheco (Região Leste) foi o estabelecimento que apresentou a maior quantidade de produtos com o menor preço (23 produtos dos 45 encontrados).

Segundo os técnicos da fundação, alguns fatores são determinantes na formação de preços no mercado de medicamentos, tais como: localidade, rentabilidade da loja, condições comerciais de compra, em algumas drogarias de rede há políticas comerciais diferentes para cada canal de venda (loja física, telefone e site - loja virtual), há redes que são regidas pelo sistema de franquia, não havendo uma política única de preços entre os franqueados.

O levantamento, que envolveu 15 drogarias distribuídas pelas 05 regiões de São Paulo, pesquisou 52 medicamentos.

Tudo o que sabemos sobre:
preçosconsumoremédiosgenéricos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.