Preços agrícolas em SP fecham junho com alta de 2,42%

Dados do IEA mostram que custo das carnes puxou novamente o aumento de preços no mês passado

Reuters,

04 de julho de 2008 | 12h08

Os produtos de origem animal mantiveram a tendência de alta e puxaram o avanço do índice dos preços agrícolas no atacado no Estado de São Paulo, que fecharam o mês de junho com alta de 2,42%, de acordo com dados do Instituto de Economia Agrícola (IEA), órgão do governo estadual.  Veja também:Entenda a crise dos alimentos  De olho na inflação, preço por preço Entenda os principais índices de inflação   As carnes já tinham sido as responsáveis pelo avanço de 2,60% na terceira quadrissemana de junho. A carne bovina foi a que apresentou a maior alta em junho, de 12,40%, seguida da carne de frango (9,80%) e da carne suína (8,58%).No geral, os produtos de origem animal tiveram variação média positiva de 9,35%. Já os vegetais, apesar, da alta de 15,18% do tomate para mesa, apresentaram recuo de 0,35%.  "Para a carne bovina, a redução de oferta de animais por parte dos pecuaristas para o abate forçou os frigoríficos a pagarem mais pelo boi gordo. As demais carnes também apresentaram a mesma tendência, pois com as altas das três carnes, o consumidor não tem como exercer uma pressão baixista", avaliou o IEA em comunicado.  O instituto cita ainda que todos os preços agropecuários sofrem pressão de custos de produção, devido às altas dos preços do petróleo e dos fertilizantes no mercado internacional.

Mais conteúdo sobre:
AlimentosInflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.