Preços dos alimentos têm ligeira queda em maio, aponta FAO

O indicador está agora 10% abaixo do pico atingido em fevereiro de 2011 

José Roberto Gomes, da Agência Estado,

06 de junho de 2013 | 09h27

ROMA - Os preços internacionais dos alimentos recuaram em maio ante abril, com a queda das cotações de açúcar e de laticínios atenuando a alta das de cereais, informou nesta quinta-feira a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

O índice de preços de alimentos da entidade, que mede a variação mensal dos preços globais de uma cesta de commodities alimentícias, atingiu 215,2 pontos em maio, ligeiramente abaixo dos 215,8 pontos de abril. O indicador está agora 10% abaixo do pico atingido em fevereiro de 2011.

Especificamente para os laticínios, o índice da FAO recuou nove pontos de abril a maio, para 249,8 pontos. "Entre os produtos que compõem essa cesta, o leite em pó desnatado foi o que registrou maior queda de preços, seguido pela manteiga e pelo leite em pó integral, enquanto que a média de preços do queijo cheddar apresentou leve alta", informou a FAO, em nota.

Em relação ao açúcar, o índice de preços atingiu 250,1 pontos em maio, menos 2,6 pontos ante o mês anterior. As cotações da commodity seguem com o viés de baixa em razão da safra de cana-de-açúcar do Brasil, o maior produtor mundial. "De modo geral, essa queda de preços reflete a expectativa de um superávit global aliado a uma demanda enfraquecida", disse a FAO.

O índice de preços de cereais alcançou 238,9 pontos em maio, um avanço de quatro pontos em relação a abril e quase 8% superior ante maio do ano passado. Segundo a FAO, esse aumento deve-se principalmente ao milho, cujas cotações subiram devido ao atraso no plantio dos Estados Unidos. Em contrapartida, os preços de trigo e arroz praticamente não se alteraram. Fonte: Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.