Premiê da Índia diz articular com emergentes candidato para FMI

'Estamos tentando consolidar nossa posição', disse a autoridade

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

26 de maio de 2011 | 09h41

O ministro das Finanças da Índia disse nesta quinta-feira, 26, que está coordenando, com outros países emergentes, um candidato comum para o cargo de diretor-gerente do FMI.

"Estou em contato com alguns ministros das Finanças dos países em desenvolvimento e economias emergentes. Estamos tentando consolidar nossa posição", disse Pranab Mukherjee, segundo a agência de notícias PTI.

Os diretores do Conselho do Fundo Monetário Internacional (FMI) que representam Rússia, Índia, China, África do Sul e Brasil pediram, em declaração divulgada na terça-feira, que o Fundo abandone sua regra não escrita de indicar um europeu para ser o diretor-gerente da instituição, a qual "prejudica a legitimidade do fundo".

A ministra das Finanças da França, Christine Lagarde, lançou ontem sua candidatura e recebeu amplo apoio europeu ontem.

A Índia não declarou apoio a qualquer candidato, mas um representante do país em Washington disse ontem que será muito difícil que um não europeu ocupe o posto.

Atualmente, as nações europeias possuem perto de um terço dos direitos de voto no FMI, enquanto os EUA têm cerca de 17%. As nações asiáticas têm próximo de 20%, enquanto o restante está distribuído entre os demais países. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
ÌndiaemergentesFMI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.