Premiê francês e petrolíferas se reúnem na 6ª para discutir fornecimento

País enfrenta a falta de combustíveis provocada pela greve contra a reforma previdenciária

Priscila Arone, da Agência Estado,

21 de outubro de 2010 | 16h17

O primeiro-ministro francês Francois Fillon e executivos de empresas petrolíferas vão se reunir na sexta-feira, 22, para discutir a produção e distribuição de derivados de petróleo na França, enquanto o país tenta superar a falta de combustíveis provocada pela greve contra a reforma previdenciária.

A informação sobre a reunião foi divulgada nesta quinta-feira durante um breve comunicado do gabinete do ministro.

Fillon reuniu-se com representantes da indústria petrolífera na quarta-feira, depois de o presidente Nicolas Sarkozy ter ordenado à polícia que dispersasse os manifestantes que estavam bloqueando depósitos de combustível em todo o país. Num determinado momento, 20 depósitos estiveram fechados pelos grevistas.

Esses bloqueios, aliados ao fechamento virtual das refinarias em todo o território, levaram a uma procura frenética por gasolina e diesel. Cerca de um terço dos postos de gasolina da França estavam sem combustível no início desta semana.

Autoridades governamentais disseram esperar que a situação se normalize em quatro ou cinco dias, já que os manifestantes estão sendo retirados das entradas dos depósitos.

A primeira reunião entre Fillon e executivos da área de petróleo levou a um acordo de compartilhamento de estoques entre as empresas, numa tentativa de normalizar a distribuição de combustíveis no país. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Françacombustívelgreveaposentadoria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.