Preocupação com déficit dos EUA pesa e Wall Street cai

Os índices de ações dos Estados Unidos caíram pelo quarto dia seguido nesta sexta-feira, com a persistência de preocupações com o déficit orçamentário norte-americano e com os Treasuries do Tesouro dos EUA e o dólar também perdendo terreno.

EDWARD KRUDY, REUTERS

22 de maio de 2009 | 18h32

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, recuou 0,18 por cento, para 8.277 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 0,19 por cento, para 1.692 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve desvalorização de 0,15 por cento, para 887 pontos.

Os papéis de grandes manufatureiras --como a Caterpillar, desvalorizados em 3,5 por cento, a 34,31 dólares-- e os de financeiras --como o Bank of America, em queda de 3 por cento, valendo 11,07 dólares-- lideraram as perdas. Investidores têm reduzido as apostas em ativos norte-americanos por conta de preocupações com a dívida do país.

Companhias multinacionais e de commodities, entretanto, amorteceram as perdas dos principais indicadores dos Estados Unidos, à medida que investidores compraram ações de setores que podem se beneficiar de um dólar mais fraco.

As ações do McDonald's, a maior rede de fast-food do mundo, avançaram 2,5 por cento, para 57,08 dólares, maior alta percentual do índice Dow Jones.

Os papéis da exploradora de ouro Newmont Mining subiram 0,9 por cento, a 47,04 dólares.

O ouro, tradicional porto seguro para os investidores, atingiu a máxima em dois meses, cotado acima de 960 dólares a onça pela primeira vez desde março deste ano, enquanto o índice de volatilidade da Bolsa de Opções de Chicago (CBOE, na sigla em inglês), que também mede o temor em Wall Street, subiu 4,1 por cento e permaneceu bem acima de 30 pontos, importante nível psicológico, de acordo com analistas.

"Os investidores estão na direção de um entendimento de que as taxas de juros em uma posição superior e o dólar vai estar sob pressão", disse Alan Lancz, presidente da Alan B. Lancz & Associates, empresa de consultoria de investimentos sediada em Toledo, Ohio.

"O setor de energia está se movimentando à medida que a China continua armazenando estoques e comprando todas as commodities que o país pode. Eu acho que você tem esse jogo de um dólar mais fraco e commodities mais fortes nesse exato momento", acrescentou.

Na semana, entretanto, os índices terminaram moderadamente mais altos, com o Dow Jones com variação positiva de 0,1 por cento, o S&P 500 avançando 0,5 por cento e o Nasdaq com alta de 0,7 por cento.

(Reportagem adicional de Ellis Mnyandu)

Tudo o que sabemos sobre:
WALLSTFECHAATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.