Preocupação com inflação cai e consumidor está mais otimista, diz CNI

Índice Nacional de Expectativa do Consumidor de julho, ficou em 113,2 pontos, o que representa um aumento de 1,3% em relação ao índice registrado em junho

Agência Estado,

28 de julho de 2011 | 14h33

O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec) de julho, calculado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), ficou em 113,2 pontos. Houve, portanto, uma elevação de 1,3% em relação ao Inec de 111,8 pontos registrado em junho, o que representa maior otimismo entre os consumidores brasileiros. O resultado foi divulgado nesta quinta-feira, 27, pela CNI. "Otimismo do brasileiro aumenta após dois meses de estabilidade", avalia a confederação, ao comentar o resultado.

"O crescimento do índice em julho foi causado principalmente pela redução da preocupação dos consumidores com o aumento da inflação", explica o economista da CNI Marcelo Azevedo. Em julho, 61% dos entrevistados disseram acreditar que haverá aumento inflacionário, enquanto em junho esse porcentual era de 69%. A pesquisa foi realizada entre os dias 14 e 18 de julho, com 2.002 pessoas. Apesar da recuperação frente o resultado de junho, o Inec deste mês ficou abaixo do que foi apurado em julho do ano de 2010, quando atingiu 116,8 pontos.

O Inec é composto por seis indicadores. O índice referente à expectativa do consumidor em relação à inflação, que marcava 100,4 pontos em junho; subiu para 108,6 pontos em julho. "O que demonstra perspectivas mais otimistas dos consumidores", destaca a confederação. O indicador relativo à expectativa de desemprego, que havia ficado em 130,6 pontos, em junho; caiu para 129,3 pontos, este mês. Já o índice sobre a expectativa de renda pessoal, que marcou 112,1 pontos, em junho; alcançou 114,0 pontos, em julho. O indicador sobre a situação financeira, que havia ficado em 111,7 pontos, no mês passado; aumentou para 113,7 pontos, em julho. O índice relativo ao endividamento, que havia ficado em 105,6 pontos, em junho; subiu para 106,9 pontos, este mês. Já o índice sobre compras de bens de maior valor caiu de 111,9 pontos, no mês passado; para 110,8 pontos, este mês.

Todos os seis indicadores de julho deste ano, entretanto, registraram queda em relação a julho do ano passado. "Ou seja, as expectativas para os próximos seis meses acerca de inflação, desemprego, renda e compras são menos otimistas que em julho de 2010", cita documento da CNI sobre a pesquisa. Segundo a confederação, na comparação entre julho deste ano e julho do ano passado, os destaques são o aumento do pessimismo em relação à inflação (108,6 pontos, em julho deste ano; ante 118,9 pontos, em julho do ano passado) e endividamento (106,9 pontos, em julho deste ano; frente 113,0 pontos, em julho do ano passado). A CNI destaca que o indicador de expectativa de desemprego deste mês (129,3 pontos) é o menor desde junho de 2010 (quando havia caído a 126,9 pontos).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.