Presidente da Alemanha renuncia após comentários sobre políticas do governo

Horst Koehler recebeu críticas ao associar interesses nacionais com intervenções militares 

Gabriel Bueno, da Agência Estado,

31 de maio de 2010 | 10h03

O presidente da Alemanha, Horst Koehler, anunciou nesta segunda-feira sua renúncia. A medida, que não era esperada, é tomada após comentários controversos dele sobre a missão militar alemã no Afeganistão e sobre os interesses econômicos do país.

Koehler, que assumiu seu segundo mandato no cargo no ano passado, citou o fato de que uma fala recente dele em uma entrevista foi alvo de duras críticas. "Eu lamento que meus comentários possam levar à incompreensão em uma questão importante e difícil para nossa nação", disse Koehler. "As críticas, porém, foram longe demais, (dizendo) que eu iria apoiar indicações nas Forças Armadas Federais que não foram respaldadas pela Constituição. Essa crítica não tem qualquer justificativa. Ela não leva em conta o respeito necessário por minha posição", criticou ele.

Koehler é um membro da União Democrata Cristã (CDU), o mesmo partido da chanceler Angela Merkel. Ele disse que sua renúncia tem efeito imediato. O cargo de presidente alemão é em grande parte cerimonial, de chefe de Estado. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.