Presidente da Emirates vê oportunidades na fusão BAE-EADS

A principal compradora de jatos Airbus disse nesta sexta-feira que espera que a proposta de fusão de 45 bilhões de dólares da BAE Systems e a controladora da Airbus EADS não distraia a companhia de entregar aviões no prazo e que o negócio poderia, de fato, ser positivo.

Reuters

28 de setembro de 2012 | 10h14

O presidente da Emirates Tim Clark disse que não acredita que a distração afetará o pedido de 90 jatos Airbus A380 feito pela companhia aérea. Ele afirmou que gostaria de pedir mais 40 dos jatos de 525 lugares, mas o aeroporto de Dubai, base da empresa, não comportaria tantos aviões.

Clark falou em uma conferência da indústria em Seattle. "Boa sorte", disse ele sobre a fusão.

"Isso (fusão) pode, de maneira um pouco obtusa, trazer alguma ordem" à estrutura controladora da EADS "de modo que não haveria mais a necessidade de equalizar as proporções" entre Alemanha e França, disse. "Essa é uma oportunidade para endireitar as coisas".

(Por Alwyn Scott)

Tudo o que sabemos sobre:
AEREASEMIRATESPEDIDOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.