Presidente do Banco Central Europeu diz que euro não está em perigo

Analistas apontam para colapso na zona do euro, mas Mario Draghi afirma que união financeira, orçamentária e política entre os países da zona do euro será maior

Reuters

21 de julho de 2012 | 09h26

PARIS - O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, afirmou que o euro não está em perigo, apesar de cenários extremos de alguns analistas apontarem para uma ruptura do bloco, e disse que uma união financeira, orçamentária e política maior entre os países da zona do euro era inevitável.

Questionado em entrevista ao jornal francês Le Monde se o euro estava em perigo, Draghi disse: "Não, absolutamente não. Nós vemos analistas imaginando o cenário de um colapso na zona do euro."

"Eles não reconhecem o capital político que nossos líderes investiram nessa união e o apoio dos europeus. O euro é irreversível", acrescentou.

No longo prazo, o euro precisará ter como base uma maior integração entre os países do bloco monetário, disse Draghi.

"Toda ação para união financeira, orçamentária e política é, para mim, inevitável e levará à criação de novos órgãos supranacionais", disse ele.

Líderes europeus deram um passo em direção a uma integração maior na cúpula de Bruxelas no mês passado, quando concordaram em colocar o BCE como responsável para supervisionar bancos e deram ao fundo de resgate Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira (ESM, na sigla em inglês) o poder para recapitalizar bancos problemáticos.

(Reportagem de Leigh Thomas)

Tudo o que sabemos sobre:
MACRODRAGHIEURO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.