Presidente do Bradesco nega interesse no Panamericano

'Nós não fomos e nem somos interessados no Banco Panamericano', disse Trabuco em teleconferência com a imprensa

Altamiro Silva Junior, da Agência Estado,

31 de janeiro de 2011 | 12h43

"Nós não fomos e nem somos interessados no Banco Panamericano", destacou o presidente do Bradesco Luiz Carlos Trabuco Cappi, durante teleconferência com a imprensa para comentar os resultados de 2010 do banco, ao ser questionado se o Bradesco avaliou os ativos do banco de Sílvio Santos. "Nunca tivemos interesse."

Segundo Trabuco, seria "despropositado" o Bradesco comprar fatia no Panamericano e ser sócio da Caixa Econômica Federal, banco público que compete com o Bradesco em algumas linhas. "Seria uma sociedade que não teria sentido", destacou. Trabuco ressaltou que o banco tem operações próprias de veículos e de consignado, áreas fortes do Panamericano.

O Bradesco, segundo seu presidente, comprou carteiras de crédito do Panamericano no passado. Sem dizer o valor dos créditos adquiridos, Trabuco diz que a carteira comprada está muito abaixo de 1% da carteira total de crédito do banco. "É praticamente um valor residual. Não há concentração."

Trabuco ressaltou que os problemas do Panamericano não afetaram a estratégia do Bradesco de comprar carteiras de crédito de bancos de menor porte. "Eles têm grande poder de originação. O Panamericano foi um problema localizado."

Tudo o que sabemos sobre:
PanamericanoBradescobancoscompra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.