Presidente do Chipre defende investigação do Parlamento sobre chefe do BC

Autoridade é acusada de má conduta e omissão de dados bancários 

Danielle Chaves e Sergio Caldas, da Agência Estado,

12 de abril de 2013 | 09h48

NICÓSIA - O presidente do Chipre, Nikos Anastasiades, disse hoje que, embora respeite a independência do banco central nacional, o Parlamento do país tem autoridade para investigar o presidente da instituição, Panikos Demetriades, que é acusado de má conduta e omissão de dados bancários.

Falando a repórteres em Nicósia após o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, ter feito um alerta contra a demissão de Demetriades, Anastasiades disse que Draghi "não foi bem informado por algumas pessoas" porque os parlamentares cipriotas têm autoridade plena para conduzir a investigação.

Em carta para Nicósia, Draghi ameaçou levar a questão ao Tribunal de Justiça Europeu se o Chipre demitir Demetriades por motivos que não sejam os que estão claramente estabelecidos no tratado da União Europeia.

Perguntado se a carta de Draghi interferia em questões políticas do Chipre, Anastasiades respondeu: "O que a carta disse é que o banco central é uma instituição independente - o que não precisava ser dito -, mas também mencionou os motivos pelos quais um presidente de banco central pode ser demitido."

Anastasiades disse ainda que vai responder a Draghi e declarar que "na República do Chipre, a separação de poderes claramente confere autoridade ao Parlamento para investigar funcionários do governo".

Renúncia

Dois membros do conselho do Banco Central do Chipre - Andreas Matsis e Haralambos Akhniotis - renunciaram, segundo uma fonte, em meio à crescente pressão para que o presidente da instituição deixe o cargo por causa da forma como tratou a crise financeira do país.

Ontem o ministro de Finanças do Chipre, Harris Georgiades, confirmou que recebeu uma carta do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, lembrando o governo cipriota sobre as regras da União Europeia para independência dos bancos centrais e destacando que Panicos Demetriades, presidente do Banco Central do Chipre, não pode ser demitido.

As informações são da Market News International e Dow Jones. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.