Primeiro-ministro diz que Grécia não pretende pedir ajuda ao FMI

Segundo autoridade, o país precisa do suporte psicológico e político

Danielle Chaves, da Agência Estado,

11 de fevereiro de 2010 | 10h53

O primeiro-ministro da Grécia, George Papandreou, não pretende buscar assistência do Fundo Monetário Internacional (FMI), de acordo com uma entrevista publicada no site do jornal francês Le Monde. Papandreou disse que não pediu ajuda ao FMI e não planeja buscar essa solução, segundo o jornal, mas o país está contando com suporte da Europa.

 

"A Grécia precisa do suporte psicológico e político da Europa", afirmou Papandreou na entrevista. "A Europa deveria dizer: sim, a Grécia é digna de crédito e nós garantimos que seu plano é realista", acrescentou.

 

"Se as especulações continuarem, isso se tornará uma questão para a zona do euro e a Europa, uma questão de vontade coletiva para controlar a especulação", disse Papandreou. Temores de que a Grécia possa declarar default de sua dívida vêm agitando os mercados de ações, dívida e moedas durante as últimas semanas.

 

O primeiro-ministro também afirmou que não haverá uma transição fácil para a Grécia. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Grécia, Europa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.