Primeiro-ministro grego corta imposto sobre alimentos

Com redução do imposto, governo espera que empresas não fechem as portas e que emprego e receita fiscal aumentem

Agencia Estado

17 de julho de 2013 | 11h49

ATENAS - O primeiro-ministro da Grécia, Antonis Samaras, anunciou uma forte redução no imposto sobre alimentos em um esforço para ampliar as receitas durante a importante temporada de verão local. Samaras afirmou que, a partir de 1º de agosto, o imposto sobre valor agregado (IVA) para o setor de alimentos grego - que inclui serviços para festas (catering) - diminuirá para 13%, de 23% atualmente.

Segundo Samaras, a decisão foi tomada apesar de os credores internacionais do país não estarem totalmente convencidos da efetividade disso. "Se a evasão fiscal continuar, o IVA voltará para 23%", alertou o premiê. "Acredito que com a redução do imposto alguns negócios não serão fechados e tanto o emprego quanto a receita fiscal aumentarão", disse.

Em um discurso não programado, considerado um esforço para acalmar os protestos contra o projeto de lei que determina cortes de empregos no setor público e será votado neta quarta-feira pelo Parlamento do país, Samaras também prometeu que "não haverá mais cortes nos salários militares e nas pensões".

Samaras destacou que seu governo evitou colocar um imposto sobre receitas de empresas, já que certas medidas fiscais aprovadas para 2014 não serão implementadas pois a Grécia está atingindo as metas fiscais. "Nós temos as primeiras indicações de que estamos vencendo essa batalha", afirmou o premiê. Fonte: Market News International.

Tudo o que sabemos sobre:
GréciacriseimpostoSamaras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.