Primeiro óleo do pré-sal sai do ES em 2 de setembro

Lula, ministros e diretoria da Petrobras estarão no evento, que marca a estréia da província petrolífera

Reuters,

20 de agosto de 2008 | 12h13

No dia 2 de setembro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ministros e toda a diretoria da Petrobras estarão na plataforma P-34, no campo de Jubarte, na bacia do Espírito Santo, onde será extraído o primeiro óleo da camada pré-sal brasileira, informou uma fonte próxima à presidência. O evento marca a estréia da província petrolífera que se estende até Santa Catarina e que pode conter bilhões de barris de petróleo de alta qualidade.   Veja também: Mantega defende modelo brasileiro para administrar pré-sal Entenda as discussões sobre as mudanças na Lei do Petróleo País pode ter o terceiro maior campo de petróleo do mundo A maior jazida de petróleo do País   A cerimônia será tratada como a entrada do Brasil numa nova era, segundo a fonte, deixando bem clara a intenção do governo de distribuir a nova riqueza com a sociedade, posição que deve ser defendida até as próximas eleições presidenciais. Na primeira campanha, em 2002, Lula já havia usado a imagem da Petrobras para demonstrar que no seu governo a estatal seria instrumento de desenvolvimento social.   No Ceará para a inauguração de dois projetos da estatal - terminal de GNL (Gás Natural Liquefeito), no porto de Pecém, e fábrica de biodiesel, em Quixadá -, Lula anunciará também a construção de uma refinaria no Estado, no valor de US$ 11,1 bilhões, um mês depois de ter anunciado uma refinaria de US$ 20 bilhões da estatal no Maranhão.   Segundo entrevista concedida por e-mail ao Diário do Nordeste na terça-feira, o presidente afirmou que apenas no Nordeste os investimentos do governo vão somar mais de R$ 90 bilhões "para mudar a cara do Nordeste".   Mesmo com tantos projetos e em plena revisão para cima de um plano de investimentos de US$ 112,4 bilhões , as ações da empresa apresentam queda no acumulado do ano. No início de 2008, ainda no embalo das descobertas do pré-sal, os papéis da empresa valiam cerca de R$ 43, contra atuais R$ 33,90.   Além da queda recente nos preços do petróleo, também pressionam as ações as declarações do presidente Lula favoráveis à criação de uma estatal para administrar os recursos do pré-sal. Em reunião interministerial na terça-feira, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, declarou que a criação da empresa que poderá reduzir em parte a importância da Petrobras na exploração do pré-sal está cada vez mais firme no governo.   Nesta quarta-feira, no entanto, as ações subiam quase 4%, por volta das 11h45 (horário de Brasília).

Tudo o que sabemos sobre:
PetróleoPré-SalPetrobrasEnergia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.